Feeds:
Posts
Comentários

Aviso impostantíssimo.

É com o maior dos orgulhos que lhes apresento o novo endereço do Existo, Logo Penso:

http://www.existologopenso.com

Por favor, pessoal, mudem seus links para esse endereço aí de cima.

Venham me visitar na casa nova e com tudo já importado! Santo WordPress, Batman!

Até lá!

Detesto pegar gripe. Principalmente daquelas que parecem que um trator passou por cima da gente. Um vírus chatinho que fica incomodando uma semana, depois de passar meses incubado. Só esperando o momento certo para acabar com o seu dia.

Pois é, ontem passei por uma crise doloridíssima por causa da maledeta, e sem chance de defesa. Passei a noite inteira com dores no corpo, garganta inflamada e uma tosse que me acompanha até agora.

Me sinto melhor, mas ainda tenho dificuldade para engolir e para respirar, fora a sensação de que carreguei o mundo nas costas. Tinha um evento ontem e fiquei até o corpo não aguentar mais. Depois, só calafrios e dores. Fala sério!

Ficar doente faz a gente perder um tempão da vida, não é? E isso porque faz tempo que não me dava uma dessas, pelo menos uns seis meses.

Por isso, acabo de voltar ao blog depois de uma bela oscilação na Força. E de uma sexta feira 13 que me deixou sem micro no serviço e de prêmio de consolação, ganhei a gripe.

Pelo menos eu (e o blog) sobrevivemos, não é verdade? ;-)

 xadrez.jpg

Antes de tudo, peço desculpas pelo pequeno sumiço. Achei uma “brechinha” para tirar a poeira do blog e dar um alô aos amigos blogueiros (ou não-blogueiros) que insistem em passar por estas longínquas bandas do lado obscuro da Internet. Heh!

E o problema, também, é que eu andava um tanto quanto superficial.

Não adianta nada postar se for postar porcaria, é o que dizem por aí, nas normas e costumes do bom internetês. Visto que o sono tem me rondado mais do que a criatividade, então percebe-se um vácuo mental, drenando o pouco de cabeça que me resta.

Ora, então resolvi dar um tempo pros neurônios voltarem a fazer sinapses. O bom é que o tempo durou apenas 48 horas.

De resto, tudo anda bem, “24″ estréia sua temporada nova na Fox hoje às 22 horas (afinal, o que aconteceu domingo foi palhaçada. Ou você acha que Jack Bauer agora caça o Predador * ?) e a vida segue seu rumo, embora eu ande em uma estrada sem sinalização.

Agora, é melhor eu dar uma saída, antes que eu estrague o resto de profundidade e inteligência bonita (afinal, até que eu sou “simpatiquinha”) que me resta.

* durante a exibição de 24 Horas no domingo de Páscoa, a transmissão foi cortada no meio de repente, passando então, na metade, o filme “Alien Vs. Predador”.

A Páscoa.

pessach.jpg

Páscoa vem do hebraico pessach, que significa “passagem”.

Eu prefiro acreditar nisso mesmo. Que Páscoa é mais do que ovos de chocolate, é um aviso ao renascimento e ao recomeço.

Não sou católica, mas acredito no poder do pensamento, no poder de se desejar o melhor possível para todos nesta data e em todas as outras.

A Páscoa, para mim, não é um objeto de desejo, uma data religiosa ou um manifesto. É a sagração do nosso renascimento.

Uma boa pessach para todos nós. Para dias melhores.

I want to breath!

respiracao.jpg

E você?

Tá sem fôlego?

Então pare e pense: preciso fazer as coisas com mais calma!

Bom feriado :-)

Seja você. Sempre.

salto.jpg

Meu cabelo não é igual
A sua roupa não é igual
Ao meu tamanho não é igual
Ao seu caráter não é igual
Não é igual, não é igual
Não é igual… – Pitty (Máscara)

Tente ficar um dia inteiro sendo você mesma, incomodando ou não as pessoas. Percebeu o quanto é difícil? Pois é, a sociedade nos acostuma a fingirmos e nos escondermos de nós mesmos o tempo todo.

Quantas vezes você não teve que contar aquela “mentirinha” para salvar o dia?

Mas, por mais que seja difícil, procure em você mesmo a sua autenticidade, antes que a selva do dia-a-dia tire isso de você também.

(Este post anárquico teve o oferecimento de… uma noite sem sono! E não, não estou assistindo a final do Big Brother.)

Para representar a mudança no pensamento das mulheres neste século, nada como escolher as duas mulheres mais conhecidas das histórias em quadrinhos: Minnie Mouse e Margarida.

Margarida

Daisy Duck teve a sua primeira aparição em 4 de novembro de 1940, na tira semanal do Pato Donald feita por Al Taliaferro.

Tem três sobrinhas: Lalá, Lelé e Lili (April, May e June), além dos sobrinhos Huguinho, Zezinho e Luisinho (Huey, Dewey e Louie).

daisy.jpg

Margarida sempre tolerava as falhas de Donald, que era o típico preguiçoso. Só assistia futebol e comia, enquanto ela se esmerava na cozinha, participava da Liga das Senhoras e por aí vai. Era a típica dona-de-casa americana.

Com o passar do tempo, as pessoas cobravam um personagem mais atual e feminino, sem parecer rainha do lar. Foi quando ela arrumou emprego, passou a fazer ginástica e ganhou um visual mais moderno.

p2000_09b.jpg

Ela continuou com sua essência, mas deixou de ser aquela “amélia” que fazia tudo em função do Donald.

Minnie Mouse

Seu nome é Minerva “Minnie” Mouse. Sua primeira história foi publicada em janeiro de 1928, no desenho animado “Plane Crazy”.

minnie.jpg

Minnie sempre fez um papel coadjuvante nas aventuras do descolado Mickey Mouse. Aparece sempre mais ao fundo.

Ela bem que tentou seguir os passos de Margarida, mas esbarrou no movimento feminista, que elegeu a pata como um símbolo dos anos dourados para as mulheres.

Aparece atualmente no desenho “House of Mouse”.

Agora vocês estão pensando: mas que diabos de post é esse?

E eu respondo. É meu conselho para as mulheres de hoje. Sejam menos “Minnies” e mais “Margaridas”. Para o bem da nossa igualdade.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.